Skip to main content

O medo de errar (DEBATE: Prof. Evanildo Bechara, Prof. Francisco Platão Savioli e Profa. Maria Helena de Moura Neves) – Março 2014

logo encontro escritores 2 02

Para a inauguração da Série “Encontro com os escritores”, teremos enorme prazer em receber um escritor reconhecido como “unanimidade nacional”: Luis Fernando Verissimo – uma generosa oportunidade para que seus inúmeros leitores e admiradores tenham um encontro presencial.

Público-alvo

Editores, editores-assistentes, redatores, autores, jornalistas, revisores, preparadores de texto, copidesques, professores, publicitários, estudantes de letras, comunicação e jornalismo e demais interessados.
1 Step 1
keyboard_arrow_leftPrevious
Nextkeyboard_arrow_right
FormCraft - WordPress form builder

Conteúdo

Prof. Evanildo C. Bechara: “Uma visão sincera do Acordo Ortográfico”:
A comunicação vem por objetivo examinar os pontos positivos do novo Acordo Ortográfico de 1990, discutindo as críticas de que tem sido objeto na imprensa. Partindo de uma exposição didática, vincula-se o Acordo principalmente ao sistema ortográfico português, vigente ali desde 1945. Na oportunidade, ressaltar-se-á o conjunto de propostas descabidas, em contraste com os méritos da proposta de 1990.

Prof. Francisco Platão Savioli: “Uma visão crítica do ensino de língua”:
São procedentes as críticas segundo as quais o ensino de Gramática no Brasil pouco tem contribuído para melhorar o desempenho em leitura e produção de textos.
Mas essas críticas afetam o modo de fazer e não a natureza mesma da Gramática, entendida como o conjunto de princípios geradores das regularidades sem as quais língua alguma funciona.
A escola brasileira tem-se restringido à descrição de formas e mecanismos linguísticos e à prescrição de normas da língua padrão.
O ensino de Gramática pode fazer muito mais…

Profa. Maria Helena de M. Neves: “Uma visão consciente do uso linguístico”:
A relação da comunidade de uma língua com o seu próprio uso linguístico revela, em geral, uma forte consciência de que a sociedade representa uma instância de julgamento do modo de produção de cada usuário, trate-se da produção escrita trate-se da falada. Essa noção de que existe uma norma linguística (sempre impalpável, e por isso mesmo ameaçadora), se, por um lado pode incentivar uma fecunda imersão no modo de fazer a linguagem, por outro lado pode conduzir perigosamente o entendimento do que seja o bom uso da língua, inibindo a criatividade, especialmente na escrita.

Docentes

evanildo bechara 01
Evanildo Bechara

Nascido no Recife em 1928, é professor titular e emérito da Universidade do Estado do Rio de Janeiro (UERJ) e da Universidade Federal Fluminense (UFF), atua nos cursos de pós-graduação e de aperfeiçoamento para professores universitários e de ensino médio e fundamental. É membro da Academia Brasileira de Letras e da Academia Brasileira de Filologia, Sócio-correspondente da Academia das Ciências de Lisboa, Doutor Honoris Causa da Universidade de Coimbra, e o representante da Academia Brasileira de Letras para a adoção do novo Acordo Ortográfico.


francisco platao savioli 01
Francisco Platão Savioli

Bacharel em Latim e Linguística pela Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas da USP; licenciado em Português, mestre em Linguística e Doutor em Linguística e Filologia Românica pela FFLCH/USP. Foi supervisor de Português e coordenador pedagógico da coleção Ensino Médio Zeta, do Sistema Anglo de Ensino (Abril Educação) e assessor da UNESCO, na área de Linguagens e Códigos para elaboração de protótipos curriculares de Ensino Médio: Currículo Integrado para o Ensino Médio das normas à prática transformadora (Brasília, 2013). Autor de várias obras: Curso Abril VestibularCaminhos da LinguagemGramática em 44 lições, Para entender o texto: leitura e redação, entre outras.


maria helena de moura neves 01
Maria Helena de Moura Neves

Professora emérita da Unesp. Doutora em Letras Clássicas- USP (Grego) e Livre-Docente – Unesp (Linguística e Língua Portuguesa). Atua na Pós-Graduação – Letras – UPMackenzie e Unesp. Produziu mais de 200 obras autorais (livros, artigos e capítulos). Destacam-se: Gramática na escola, 1990; A gramática funcional, 1997; Gramática de usos do português, 2000; A Gramática: história, teoria e análise, ensino, 2002; Guia de uso do português, 2003; Que gramática estudar na escola? 2003; A vertente grega da gramática tradicional, 2005; Texto e gramática, 2006; Ensino de língua e vivência de linguagem, 2010; A gramática passada a limpo, 2012; A gramática do português revelada em textos, 2018; Gramáticas contemporâneas do português (em colab.), 2014. Dicionários em equipe: Dicionário gramatical de verbos (Ed. Unesp, 1989); Dicionário de usos do português do Brasil (Ática, 2002); Dicionário UNESP do Português Contemporâneo (Ed. Unesp, 2004); e Grande Dicionário do Português escrito no Brasil (Ed. Unesp, no prelo). Coordenou (em colaboração) o Dicionário grego-português, 5 vol., 2006-2010 (Ed. Ateliê). Coordenou a equipe de Sintaxe II da Gramática do Português Culto Falado no Brasil. Organizou mais de uma dezena de livros. Membro do Conselho Editorial de 14 revistas especializadas; Consultora de seis Fundações de Apoio à Pesquisa.
A Editora Unesp, responsável pela publicação no Brasil da maior parte dos escritos da linguista Maria Helena de Moura Neves, lamenta profundamente sua morte ocorrida em 17 de dezembro de 2022, aos 91 anos.

Newsletter
da Universidade do Livro

    Newsletter
    da Universidade do Livro

      Universidade do Livro

      Fundação Editora da Unesp

      E-mail: unil@unesp.br
      Telefones: (11) 3242-9555,
      3242-7171 – ramais 502 e 503
      WhatsApp: (11) 99368-9075 (dias úteis)
      Praça da Sé, 108 – Centro
      01001-900 – São Paulo, SP

      X